Consórcio quer dar fim aos lixões no DF

DF assina protocolo para implantar aterros sanitários e apoiar a reciclagem – E nós, aqui do Verde Capital estaremos de olho! Queremos só ver se isso vai sair do papel mesmo. Cidadão, cumpra sua parte e fique alerta também. A hora do voto está chegando e esta é a melhor hora de cobrar do seu candidato o que ele fez na gestão anterior.

A questão da destinação do lixo é das mais graves e tem impactos sociais e no meio ambiente. Para enfrentar este problema, no Distrito Federal e Entorno, os governador Rogério Rosso e o secretário das Cidades do governo de Goiás, Paulo de Castro, assinaram nesta segunda-feira (7), no auditório da Agência Nacional de Águas (Ana), protocolo de intenções para criação do Consórcio Público de Manejo dos Resíduos Sólidos e das Águas Pluviais da Região Integrada do DF, Goiás e 20 municípios goianos.

O objetivo do acordo é acabar com os lixões e apoiar a reciclagem por meio de uma ação integrada levando em consideração as diferentes realidades entre as grandes cidades e os municípios. O consórcio pretende melhorar a coleta e solucionar a destinação do lixo urbano nessas regiões, obter recursos financeiros além de prestar aos municípios serviços de capacitação técnica. Cada cidade continuará responsável pela limpeza das ruas e a coleta dos lixos em suas áreas, mas o novo projeto possibilitará a construção de aterros que poderão ser compartilhados por mais cidades.
 
O governador Rogério Rosso destacou que o DF e o Entorno estão no mesmo território, porém contam com realidades políticas e econômicas diferentes. “É uma ação coletiva que permite a união de esforços na busca de soluções para problemas tão graves como o lixo”, afirmou.
 
Segundo o secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Silvano Silvério, no Brasil, 60% dos municípios despejam resíduos em lixões. “O intuito do protocolo é levar gestão regionalizada e integrada com eficácia na aplicação dos recursos públicos reduzindo os custos operacionais e mantendo o corpo técnico qualificado para atingir a sustentabilidade econômica”, detalhou.
 
Para o representante do governo do Goiás e secretário das Cidades, Paulo de Castro, os consórcios públicos surgem como uma solução viável para os problemas do destino dos resíduos sólidos. “Novos investimentos reduzirão os gastos com o tratamento do lixo. Os aterros serão compartilhados entre as cidades evitando que os resíduos sejam despejados em lixões que são fonte de emissão de gases de efeito estufa, os caminhões serão específicos para garantir o transporte adequado, haverá galpões com empilhadeiras e vamos melhorar o trabalho feito pelas cooperativas de catadores de recicláveis para gerar mais emprego e renda”, afirmou.
 
A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, reforçou que a gestão estratégica do projeto é essencial e visa traduzir as melhorias em ações práticas. “São idéias que devem ser pensadas em conjunto para atender as necessidades de cada município. Cada região tem sua particularidade e o Distrito Federal deverá ser um exemplo a ser seguido”, completou.
 
O documento será encaminhado para aprovação à Câmara Legislativa do Distrito Federal e a Assembléia Legislativa de Goiás. Um plano de gestão será elaborado para analisar onde serão construídos os aterros.
 
Fazem parte do acordo os municípios de Abadiânia, Água Fria de Goiás, Águas Lindas de Goiás, Alexânia, Cabeceiras, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Cristalina, Formosa, Luziânia, Mimoso de Goiás, Novo Gama, Padre Bernardo, Pirenópolis, Planaltina, Santo Antonio do Descoberto, Valparaíso de Goiás, Vila Boa e Vila Propício.

Fonte: Agência Brasília

Anúncios

Uma opinião sobre “Consórcio quer dar fim aos lixões no DF”

  1. ESTE TEM POR OBJETIVO ENFOCAR UMA SOLUÇÃO DE REAL ABRANGÊNCIA, NO CONTESTO DOS FATOS, PARA RESOLVER DEFINITIVAMENTE O CÁOS DOS RESÍDUOS SÓLIDOS, NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO E EM QUALQUER OUTRO DA FEDERAÇÃO BRASILEIRA.

    A INICIATIVA PRIVADA ATRAVÉS DA PPP/SPE, EM PARCERIA COM AS COOPERATIVAS, DARÃO EFETIVAMENTE A DESTINAÇÃO FINAL DO PRODUTO RECICLADO COM AS INDÚSTRIAS RECICLADORAS.

    SEM CONTAMINAÇÃO DO SOLO E DO MEIO AMBIENTE.

    O TEMA DE ABRANGÊNCIA NACIONAL E INTERNACIONAL E APARENTEMENTE DIFÍCIL DE RESOLVER PELOS AMPLOS ASPECTOS DO ENVOLVIMENTO LEGAL, ESTRUTURAL, LOGÍSTICO/URBANO, FINANCEIRO, POLÍTICO E OUTROS.

    NO ENTANTO AFIRMO QUE: O CÁOS QUE O LIXO DEPOSITADO EM LIXÕES E TAMBÉM NOS ATERROS CONTROLADOS TEM PROVOCADO ATRAVÉS DAS DEZENAS DE ANOS, SEM A DEVIDA DESTINAÇÃO FINAL, TENDO COMO EXEMPLO O ATERRO DE GRAMACHO, QUE CONCEBIDO EXISTIR, POR 20 (VINTE) ANOS ESTÁ NUM ESTÁGIO DE AGONIA TERMINAL, POR 37 (TRINTA E SETE) ANOS.

    DESTINAÇÃO FINAL DE SEPARAÇÃO NO DIA, EM TEMPO REAL DO ORGÂNICO, PARA COMPOSTAGEM/E OUTROS, PLÁSTICO, ALUMÍNIO, VIDRO E PAPEL/PAPELÃO, COM 98% (NOVENTA E OITO POR CENTO) DO APROVEITAMENTO TOTAL DO RESÍDUO SÓLIDO, COLETADO PELOS CAMINHÕES DAS EMPRESAS JÁ LICITADAS E QUE É RECEPCIONADO DIRETAMENTE NAS MÁQUINAS DE SEPARAÇÃO, QUE DESTE ESTÁGIO EM DIANTE O MATERIAL/PRODUTO RECICLADO ESTARÁ DISPONIBILIZADO, PARA A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO.

    ESTA TECNOLOGIA, JÁ EXISTE E INTERROMPE O CÍCLO DO LIXO, EM CONTATO DIRETO COM O SOLO.

    PARA TANTO SOLICITO, SE POSSÍVEL, O ACOLHIMENTO DESTE E A RESPECTIVA VEICULAÇÃO, PARA QUE ESTE CONTEUDO QUEM SABE CHEGUE AO CONHECIMENTO DAS AUTORIDADES, ASSIM TAMBÉM, DA INICIATIVA PRIVADA.

    NESTE ASPECTO INFORMO QUE A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE CLUBE SOLUÇÃO, DA QUAL SOU O DIRETOR PRESIDENTE É A CAPTADORA DOS RECURSOS FINANCEIROS, PARA LANÇAR UMA CAMPANHA NACIONAL INTITULADA:
    “SOS – BRASIL/BR RECICLANDO O RESÍDUO SÓLIDO, LIXO URBANO (0) ZERO”…,

    EM CONSONÂNCIA COM O ART. 225 DA CONSTITUIÇÃO FEDERATIVA DO BRASIL:

    (TODOS TÊM DIREITO AO MEIO AMBIENTE ECOLOGICAMENTE EQUILIBRADO, BEM DE USO COMUM DO POVO E ESSENCIAL À SADIA QUALIDADE DE VIDA, IMPONDO-SE AO PODER PÚBLICO E À COLETIVIDADE O DEVER DE DEFENDÊ-LO E PRESERVÁ-LO, PARA AS PRESENTES E FUTURAS GERAÇÕES).

    PROCURO PARCERIA, PARA FORMAR COM A INTERAÇÃO/INVESTIMENTO E OU PATRICÍNIO DE VÁRIAS EMPRESAS, UMA SPE (SOCIEDADE DE PROPÓSITO ESPECÍFICO), INSTITUINDO O PROJETO EMPRESA: SOS – BRASIL/BR RECICLANDO O LIXO PASSADO, PRESENTE E FUTURO LTDA.

    PARA DAR DESTINAÇÃO FINAL AO RESÍDUO SÓLIDO, USANDO A TECNOLOGIA SUL COREANA, QUE DEFINE O RETORNO DO INVESTIMENTO, EM 04 (QUATRO ANOS), TENDO 02 (DOIS ANOS) DE CARÊNCIA JUNTO AO BNDES, QUE FINANCIA ATÉ 70% (SETENTA POR CENTO) DO VALOR DAS MÁQUINAS, POR SEREM ITENS DA PAUTA DE IMPORTAÇÃO E NÃO TER SIMILAR NACIONAL.

    SAUDAÇÕES AMBIENTAIS.

    RONALDO A. ABREU
    TEL.: 21 78799956 – ID.: 12*38830
    E-MAIL: oestadorjcom@ig.com.br

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s