Arquivo da tag: Dia Mundial da Água

Dia Mundial da Água – 22 de Março

Olá, caros leitores deste blog!

Algumas coisinhas sobre a água, considerando que o Dia Mundial da Água já passou e você quer mesmo é novidade.

  • Para quem quer saber mais sobre a história da data:

A Assembléia Geral das Nações Unidas adotou a resolução A/RES/47/193 de 22 de fevereiro de 1993, instituindo que 22 de março de cada ano seria declarado Dia Mundial das Águas (DMA), para ser observado a partir de 93, de acordo com as recomendações da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento contidas no capítulo 18 (sobre recursos hídricos) da Agenda 21. E através da Lei n.º 10.670, de 14 de maio de 2003, o Congresso Nacional Brasileiro instituiu o Dia Nacional da Água na mesma data.

Os Estados foram convidados, como fosse mais apropriado no contexto nacional, a dedicar o Dia a atividades concretas que promovessem a conscientização pública através de publicações e difusão de documentários e a organização de conferências, mesas redondas, seminários e exposições relacionadas à conservação e desenvolvimento dos recursos hídricos e/ou a implementação das recomendações da Agenda 21.

  • Dica bem legal! – Trazemos uma publicação fantástica feita pela ONG WWF sobre o tema. Muito legal, chama-se “Livro das Águas – Cadernos de Educação Ambiental”. Tem uma interatividade show de bola e você descobre várias coisas interessantes. Vale a pena ver e curtir! Clique aqui.

A água é um bem precioso e insubstituível. É um elemento da natureza, um recurso natural. Na natureza podemos encontrar a água em três estados: sólido (gelo), gasoso (vapor) e líquido. Ainda classificando a água ela pode ser: doce, salobra e salgada.

É de domínio público e de vital importância para a existência da própria vida na Terra. A água é um recurso natural que propicia saúde, conforto e riqueza ao homem, por meio de seus incontáveis usos, dos quais se destacam o abastecimento das populações, a irrigação, a produção de energia, o lazer, a navegação.

De acordo com a “Gestão dos Recursos Naturais da Agenda 21, a água pode ainda assumir funções básicas, como:

* Biológica: constituição celular de animais e vegetais.
* Natural: meio de vida e elemento integrante dos ecossistemas.
* Técnica: aproveitada pelo homem através das propriedades hidrostática, hidrodinâmica, termodinâmica entre outros fatores para a produção.
* Simbólica: valores culturais e sociais.

Muito se fala em falta de água e que, num futuro próximo, teremos uma guerra em busca de água potável. O Brasil é um país privilegiado, pois aqui estão 11,6% de toda a água doce do planeta. Aqui também se encontram o maior rio do mundo – o Amazonas – e o maior reservatório de água subterrânea do planeta – o Sistema Aqüífero Guarani.

No entanto, essa água está mal distribuída: 70% das águas doces do Brasil estão na Amazônia, onde vivem apenas 7% da população. Essa distribuição irregular deixa apenas 3% de água para o Nordeste. Essa é a causa do problema de escassez de água verificado em alguns pontos do país. Em Pernambuco existem apenas 1.320 litros de água por ano por habitante e no Distrito Federal essa média é de 1.700 litros, quando o recomendado são 2.000 litros.

Mas, ainda assim, não se chega nem próximo à situação de países como Egito, África do Sul, Síria, Jordânia, Israel, Líbano, Haiti, Turquia, Paquistão, Iraque e Índia, onde os problemas com recursos hídricos já chegam a níveis críticos.  Em todo o mundo, domina uma cultura de desperdício de água, pois ainda se acredita que ela é um recurso natural ilimitado. O que se deve saber é que apesar de haver 1,3 milhão de km\3 livre na Terra, segundo dados do Ministério Público Federal, nem sequer 1% desse total pode ser economicamente utilizado, sendo que 97% dessa água se encontra em áreas subterrâneas, formando os aqüíferos, ainda inacessíveis pelas tecnologias existentes.

Políticas públicas e um melhor gerenciamento dos recursos hídricos em todos os países tornam-se hoje essenciais para a manutenção da qualidade de vida dos povos. Se o problema de escassez já existente em algumas regiões não for resolvido, ele se tornará um entrave à continuidade do desenvolvimento do país, resultando em problemas sociais, de saúde, entre outros.

O país está tomando medidas concretas para impedir esse futuro, entre elas a criação da Agência Nacional de Águas,a sobreposição do rio São Francisco, adoção de técnicas de reuso de água e construção de infra-estrutura de saneamento, já que hoje 90% do esgoto produzido no país é despejado em rios, lagos e mares sem nenhum tratamento.

Segundo a Organização das Nações Unidas – ONU, 50% da taxa de doenças e morte nos países em desenvolvimento ocorrem por falta de água ou pela sua contaminação. Assim sendo, o rápido crescimento da população mundial e a crescente poluição, causado também pela industrialização, torna a água o recurso natural mais estratégico de qualquer país do mundo.

Para cada 1.000 litros de água utilizados, outros 10 mil são poluídos. Segundo a ONU, parece estar cada vez mais difícil se conseguir água para todos, principalmente nos países em desenvolvimento. Dados do International Water Management Institute – IWMI mostram que, no ano de 2025, 1.8 bilhão de pessoas de diversos países deverão viver em absoluta falta de água, o que equivale a mais de 30% da população mundial. Diante dessa constatação, cabe lembrar que a água limpa e acessível se constitui em um elemento indispensável para a vida humana e que, para se tê-la no futuro, é preciso protegê-la para evitar o futuro caótico previsto para a humanidade, quando homens de todos os continentes travarão guerras em busca de um elemento antes tão abundante: a água.

Devido à grande expansão urbanística, a industrialização, a agricultura e a pecuária intensivas e ainda à produção de energia elétrica – que estão estreitamente associadas à elevação do nível de vida e ao crescimento populacional – crescentes quantidades de água passaram a ser exigidas.

As crescentes necessidades de água, a limitação dos recursos hídricos, os conflitos entre alguns usos e os prejuízos causados pelo excesso de água exigem um planejamento bem elaborado pelos órgãos governamentais, estaduais e municipais, visando técnicas de melhor aproveitamento dos recursos hídricos. Além das responsabilidades públicas, cada cidadão tem o direito de usufruir da água mas o dever de preservá-la, utilizando-a de maneira consciente, sem desperdícios, assim dando o valor devido à água.

Seja racional ao usar a água, a fonte não pode secar!

Extraído do Portal Ambiente Brasil (com alterações)

Se você quer algumas dicas boas para economizar água, clique aqui.

Imagem principal: globo.com

Anúncios

Seminário Água e Cidadania com Leonardo Boff e Washington Novaes

O Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos – IBRAM, em parceria Movimento de Cidadania Pelas Águas, Adasa e Cet- Água, convida para o Seminário Água e Cidadania, Visões Múltiplas para um Recurso de Usos Múltiplos a ser realizado entre os dias 22 a 24 de março de 2010, na Universidade dos Correios.

O evento contará com a participação de Leonardo Boff e Washington Novaes que discutirão junto com várias outras personalidades a questão da água e suas diversas dimensões.

Na ocasião haverá a solenidade de posse das diretorias dos Comitês de Bacias Hidrográficas do DF e a entrega do Zoneamento do Lago Paranoá.

Veja abaixo a programação.

Mais informações e inscrições: www.ibram.df.gov.br

Participe!

 

Dia Mundial da Água – Dicas para economizar

Olá ouvintes do Cultura Ambiental e leitores do Verde Capital. No dia 22 de março, segunda-feira, comemoramos o Dia Mundial da Água. Uma data muito importante e que tem por objetivo, mostrar o quanto devemos cuidar bem de nossos mananciais e fontes de água. Ouça o programa do dia 19/03/2010 aqui.

Você sabia que, segundo dados da Organização das Nações Unidas, cada pessoa necessita de cerca de 110 litros de água por dia para atender as necessidades de consumo e higiene? Já para a Organização Mundial de Saúde (OMS), o ser humano precisaria de apenas 40 litros por dia. Pois é, só que no Brasil, o consumo por pessoa chega a mais de 200 litros por dia.

Em grandes centros urbanos do Brasil e nas cidades com mais de 120 mil habitantes, o consumo de água pode chegar a 320 litros por dia, por pessoa. O que é um desperdício total!

Todos nós sabemos que o planeta Terra é formado de, aproximadamente, 70% de água. Mas o que nem todo mundo sabe é que a maior parte dessa água, 97,50%, é salgada e imprópria para o consumo. Da água doce, 2,493% estão em lençóis subterrâneos ou congelados nos pólos, e apenas 0,007% está em rios e lagos, disponível para nosso consumo. E não é só isso! Desse 0,007% de água doce disponível para nosso consumo, 70% vão para a agricultura; 22%, para a indústria e 8%, para o consumo individual.

Analisando essa situação concluímos que PRECISAMOS ECONOMIZAR ÁGUA URGENTEMENTE!

Se cada pessoa do mundo fizer a sua parte, a água não vai acabar, e a vida em nosso planeta será preservada. Na verdade, gastar mais de 100 litros de água por dia é jogar dinheiro fora e desperdiçar nossos recursos naturais.

Quer fazer a sua parte? Então, comece a falar sobre esse problema para todas as pessoas que você conhece, economize água conforme as dicas do programa Cultura Ambiental desta semana e mãos à obra!

Dicas para economizar água e dinheiro – sem prejudicar a saúde, a limpeza da casa e a higiene das pessoas.

No banheiro: Banho de 15 minutos? Negativo! O banho deve ser rápido. Cinco minutos são suficientes para higienizar o corpo. No caso do banho com chuveiro elétrico, em 15 minutos com o registro meio aberto, são gastos 45 litros de água na residência. A mesma coisa é o banho de ducha por 15 minutos. Com o registro meio aberto, consumimos 135 litros de água. Se fechamos o registro na hora de ensaboar o corpo e reduzimos o tempo para 5 minutos, o consumo cai para 45 litros.

Se uma pessoa escova os dentes em cinco minutos com a torneira não muito aberta, gasta 12 litros de água. No entanto, se molhar a escova e fechar a torneira enquanto escova os dentes e, ainda, enxaguar a boca com um copo de água, consegue economizar mais de 11,5 litros de água.

Do mesmo modo, para lavar o rosto a dica é não demorar. Ao lavar o rosto em um minuto, com a torneira meio aberta, uma pessoa gasta 2,5 litros de água.

O mesmo vale para o barbear. Em 5 minutos gastam-se 12 litros de água. Com economia o consumo cai para 2 a 3 litros.

Descarga e vaso sanitário: Não use a privada como lixeira ou cinzeiro e nunca acione a descarga à toa, pois ela gasta muita água. Uma bacia sanitária com a válvula e tempo de acionamento de 6 segundos gasta de 10 a 14 litros. Bacias sanitárias mais novas necessitam um tempo de acionamento 50% menor para fazer a limpeza, neste caso pode-se chegar a volumes de 6 litros por descarga.

Mantenha sempre a válvula da descarga regulada e conserte os vazamentos assim que eles forem notados. Quando a válvula está defeituosa, pode-se gastar até 30 litros. E lugar de lixo é no lixo. Jogando no vaso sanitário podemos entupir o encanamento. E, nesse caso, o lixo acaba voltando pra nossa casa.

Ao lavar a louça, primeiro limpe os restos de comida dos pratos e panelas com esponja e sabão e, só então, abra a torneira para molhá-los. Ensaboe tudo que tem que ser lavado e, então, abra a torneira novamente para novo enxágüe.

A máquina de lavar louça só deve ser ligada quando estiver cheia. Numa casa, lavando louça com a torneira meio aberta em 15 minutos, são utilizados 117 litros de água. Com economia o consumo pode chegar a 20 litros. Uma lavadora de louças com capacidade para 44 utensílios e 40 talheres gasta 40 litros.

Na higienização de frutas e verduras utilize cloro ou água sanitária de uso geral. Basta uma colher de sopa para um litro de água, por 15 minutos. Depois, coloque duas colheres de sopa de vinagre em um litro de água e deixe por mais 10 minutos, economizando o máximo de água possível.

Você sabia que ao se utilizar um copo de água, são necessários pelo menos outros 2 copos de água potável para lavá-lo? Por isso, combata o desperdício em qualquer circunstância. Tenha seu copo de uso constante em casa, no trabalho e na escola.

Junte bastante roupa suja antes de ligar a máquina ou usar o tanque. Não lave uma peça por vez. Caso use lavadora de roupa, procure utilizá-la cheia e ligá-la no máximo três vezes por semana. Se na sua casa as roupas são lavadas no tanque, deixe as roupas de molho e use a mesma água para esfregar e ensaboar. Use água nova apenas no enxágüe. E aproveite esta última água para lavar o quintal, a área de serviço ou a calçada, pois a água já tem sabão. No tanque, com a torneira aberta por 15 minutos, o gasto de água pode chegar a 279 litros. A lavadora de roupas com capacidade de 5 quilos gasta 135 litros. O ideal é usá-la somente com a capacidade total.

No jardim, use um regador para molhar as plantas ao invés de utilizar a mangueira. Ao molhar as plantas durante 10 minutos o consumo de água pode chegar a 186 litros. Para economizar, a rega durante o verão deve ser feita de manhãzinha ou à noite, o que reduz a perda por evaporação. No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã. Mangueira com esguicho-revólver também ajuda. Assim, pode-se chegar a uma economia de 96 litros por dia!

Adote o hábito de usar a vassoura, e não a mangueira, para limpar a calçada e o pátio da sua casa. Lavar calçada com a mangueira é um hábito comum, mas que traz grandes prejuízos. Em 15 minutos são perdidos 279 litros de água. Se houver uma sujeira localizada, use a técnica do pano umedecido com a água de enxágüe da roupa ou da louça.

Use um balde e um pano para lavar o carro ao invés de uma mangueira. Se possível, lave pouco durante a estiagem, a época do ano em que chove menos. Muita gente gasta até 30 minutos ao lavar o carro. Com uma mangueira não muito aberta, gastam-se 216 litros de água. Com meia volta de abertura, o desperdício alcança 560 litros. Para reduzir, basta lavar menos o carro utilizando o balde. A cada lavada, o consumo é de apenas 40 litros.

Outras dicas para preservar a água é não jogar lixo nos lagos, córregos, rios e mar. Os edifícios com hidrômetros individuais por apartamento estimulam a economia de água e a conta é mais justa, pois cada família só paga o quanto consome. Adote a idéia do reuso da água sempre que possível.

E você pode organizar um grupo para plantar árvores ao longo das margens de um córrego ou para limpar, recuperar e conservar um pedaço de terra degradada. Seja um cidadão consciente. Informe às distribuidoras sobre vazamentos de água e exija do governo um órgão regulador forte e presente para fiscalizar a eficiência das distribuidoras.

Aprenda a calcular o potencial de economia de água em sua casa

Para aprender a calcular o potencial de economia de água em sua casa, ao receber sua próxima conta de água, multiplique o consumo em metros cúbicos por mil (já que cada metro cúbico equivale a mil litros de água) e, em seguida, divida o valor encontrado pelo número de moradores fixos da casa.

Esse resultado equivale ao consumo diário médio de cada morador. Caso ele ultrapasse os 110 litros propostos pela ONU, coloque em prática as medidas de economia listadas abaixo para alcançar a meta. Adotando essas ações, você colabora para a preservação da água no planeta.

Sabendo usar, não vai faltar! Um ótimo Dia Mundial da Água com bastante consciência para você.

E semana que vem tem o seminário Água e Cidadania – Visões Múltiplas para um recurso de usos múltiplos que acontecerá entre os dias 22 e 24 de março na Universidade dos Correios, próxima à UnB. Inscrições: Ibram.

Março: mês das águas e das mulheres

Olá ouvinte do Cultura Ambiental e leitor do Verde Capital! Este mês temos duas comemorações importantes: o Dia Internacional Da Mulher, 8 de março, e o Dia Mundial Da Água, em 22 de março.

Dizem que a água e a mulher têm natureza parecida, já que são uma expressão das emoções. Uma hora mansas e ternas, outra, furiosas e ameaçadoras… Também são fonte de vida e nascimento. Água e mulher tem sofrido nos últimos séculos. Poluição, rios mutilados no seu curso, mangues soterrados, matas ciliares dizimadas, plásticos, sofás velhos, tintas e resíduos químicos para uma. Desrespeito; falta de liberdade; salários mais baixos; dupla jornada de trabalho, para outra. As agressões à natureza caminharam de mãos dadas com as agressões ao princípio feminino neste planeta.

O cultura ambiental quer, juntamente com você, ouvinte, celebrar neste mês as águas e as mulheres. Somente intensificando nossa gentileza e cuidado com elas é que vamos construir a vida que queremos. Parabéns às mulheres de fibra e garra que batalham pelos seus direitos!

Em relação à água, às vésperas de completar 50 anos, brasília, que tem um lago artificialmente construído, já enfrenta problemas nessa área. O professor Bernardo Verano, coordenador do curso de Gestão Ambiental do Unicesp, falou um pouquinho sobre o assunto.

Professor Bernardo Verano: “O que vemos agora, 51 anos após sua formação, é que o lago Paranoá apresenta uma diversidade de problemas que têm reflexo direto na sua sustentabilidade e na qualidade de vida da população do distrito federal. A intensificação na ocupação demográfica nas bacias dos rios Paranoá, descoberto e São Bartolomeu, os desmatamentos constantes e a ocupação urbana desordenada de áreas sensíveis à erosão têm contribuído para a degradação do lago. Na semana que vem vamos falar um pouco mais sobre esse assunto.”

O cultura ambiental conversou com Alex Gonçalves dos Santos, que é diretor presidente da OSCIP Movimento de Cidadania Pelas Águas, responsável pela organização do seminário Água e Cidadania – Visões Múltiplas para um recurso de usos múltiplos que acontecerá entre os dias 22 e 24 de março na Universidade dos Correios, próxima à UnB.

Confira a entrevista!

O Cultura Ambiental e as Faculdades Integradas Unicesp/Soebras apoiam totalmente esse evento importante para o calendário de Brasília. É um dever de cada um de nós proteger e cuidar da nossa água, um bem cada vez mais escasso no planeta.

Informações sobre o Seminário Água e Cidadania

Considerando o possível cenário de escassez de água, decorrente do uso intensivo e de degradação dos recursos hídricos, e os conseqüentes conflitos de uso das águas do Lago Paranoá, o Governo do Distrito Federal realizará o Seminário “Água e Cidadania” como parte da Programação da Semana da Água de 2010.

O Seminário será realizado por intermédio do Instituto Brasília Ambiental – IBRAM e a Agência Reguladora de Água, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal – ADASA , em parceria com a Oscip Movimento de Cidadania pelas Águas e das Instituições que compõem o Centro de Estudo Transdisciplinar da Água / CET – Água e tem por objetivo principal promover a integração entre os diferentes atores presentes na bacia visando a melhoria do quadro atual, por intermédio do IBRAM em parceria com a Oscip Movimento de Cidadania pelas Águas e das Instituições que compõem o Centro de Estudo Transdisciplinar da Água / CET-Água.

O evento proposto contribuirá para consolidar um espaço próprio de debate e de desenvolvimento de estratégias para recuperação e preservação das águas da bacia, tendo como princípio básico os usos múltiplos do Lago Paranoá. Simultaneamente ao Seminário ocorrerá a solenidade de posse das Diretorias dos Comitês da Bacia Hidrográfica do Rio Paranoá, dos afluentes do Rio Preto e dos afluentes do rio Maranhão, que se constitui em grande oportunidade de mobilização social para gestão adequada dos mananciais.

(Fonte: Banco do Planeta, Movimento de Cidadania pelas Águas)