Arquivo da tag: Gestão Ambiental

V Encontro de Meio Ambiente ICESP

Para comemorar o dia internacional do meio ambiente (05/06) os alunos do 3o semestre do curso de Gestão Ambiental das faculdades ICESP/Promove em Brasília realizam o V encontro de meio ambiente com o tema Gestão Ambiental Empresarial.

O evento contará com palestras e atividades paralelas à partir de 19:30 hs no auditório do ICESP campus Guará nos dias 06 e 07/06.

As palestras são gratuitas e os alunos esperam a presença de toda a comunidade que se interessa pelo assunto. Vale conferir!!!

Informações pelo email: gestaoambiental.unicesp2010@gmail.com

 

Anúncios

Queimadas 2011

O período de seca está para começar….por isso temos que ficar atentos à queimadas em áreas de preservação.

As queimadas além de destruir a vegetação causa poluição atmosférica com a suspensão de materiais particulados que causam problemas à saúde humana.

Queimadas não só degradam o meio ambiente mas também a saúde do homem…

Vamos ficar atentos.

Prof. Bernardo Verano entrevistado no Programa Ecos do Conhecimento

O programa Ecos do Conhecimento, exibido pelo Painel Brasil TV, entrevistou o professor Bernardo Verano, nosso consultor ambiental e idealizador deste blog.

Bernardo Verano falou sobre os aspectos do relacionamento do homem, com o meio ambiente e da importância numa mudança no trato com os recursos naturais. Ressaltou também o papel do gestor ambiental, que é qualificado em sustentabilidade e preservação do meio ambiente.

Assista aqui.

Campanha CNBB 2011

Adaptado: folha.com

A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) lançou  a Campanha da Fraternidade 2011, que tem como tema “Fraternidade e a vida no Planeta – A criação geme em dores de parto”.

Neste ano, a campanha tem como objetivo, segundo a CNBB, “contribuir para a conscientização das comunidades cristãs e pessoas de boa vontade sobre a gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas, e motivá-las a participar dos debates e ações que visam enfrentar o problema e preservar as condições de vida no planeta”.

A Campanha da Fraternidade foi criada em 1964 e esta é a quarta vez aborda um tema relacionado à preservação da natureza e do meio ambiente.

Em 1979, foi discutido o tema “Preserve o que é de todos”; em 2004, “Água, fonte de vida”; e, em 2007,”Vida e missão neste chão”, falando da Amazônia.

Em mensagem divulgada hoje, o papa Bento 16 manifesta apoio à campanha. Nela, ele afirma que “pensando no lema da referida campanha, ‘a criação geme em dores de parto’, que faz eco às palavras de São Paulo na sua Carta aos Romanos (8,22), podemos incluir entre os motivos de tais gemidos o dano provocado na criação pelo egoísmo humano”.

Segundo o papa, “o primeiro passo para uma reta relação com o mundo que nos circunda é justamente o reconhecimento, da parte do homem, da sua condição de criatura: o homem não é Deus, mas sua imagem; por isso, ele deve procurar tornar-se mais sensível à presença de Deus naquilo que está ao seu redor: em todas as criaturas e, especialmente, na pessoa humana há uma certa epifania de Deus”.

“Sem uma clara defesa da vida humana, desde sua concepção até a morte natural; sem uma defesa da família baseada no matrimônio entre um homem e uma mulher; sem uma verdadeira defesa daqueles que são excluídos e marginalizados pela sociedade, sem esquecer, neste contexto, daqueles que perdem tudo, vítimas de desastres naturais, nunca se poderá falar de uma autêntica defesa do meio-ambiente.”

Para saber mais sobre a campanha acesse: http://www.cnbb.org.br/site/component/docman/cat_view/241-cf-campanha-da-fraternidade Vale à pena conferir e participar.

IV Encontro de Meio Ambiente Unicesp

O Unicesp realizou nos dias 28/02 e 01/03 seu IV Encontro de Meio Ambiente.

O evento foi organizado pelos alunos do 4o semestre com orietação do professor Eliezé Carvalho por meio do projeto Três gotas.

O Tema do evento foi: A Gestão da Água, Óleo e Resíduos Sólidos e contou com o apoio e divulgação da resvista Com Ciência Ambiental. Durante o evento foi realizado um workshop sobre reaproveitamento de óleo e compostagem e tivemos a presença dos alunos e ex alunos do curso de gestão Ambiental e Pós em Gestão e Perícia Ambiental.

Abaixo o folder de divulgação do evento.

Parabéns a todos os envolvidos no projeto, são ações como essa que fazem a divulgação das questões ambientais tão importantes em nosso dia a dia.

O profissional de Gestão Ambiental

(Por Thaís Sprovieri)

Um tecnólogo em Gestão ambiental leva dois anos para se formar e, em média, tem salário inicial de R$ 2.500. Bernardo Berano, professor de química ambiental, poluição ambiental, e gerenciamento do meio ambiente diz que esse profissional pode atuar de várias formas. Na esfera pública, pode atuar em órgãos como o Ibram (Instituto Brasília Ambiental); Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente); Seduma (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente); Ministério do Meio Ambiente e Petrobras, por exemplo. Na área privada pode atuar em empresas de consultoria. Mas para Bernardo, fora de Brasília, o mercado é ainda mais amplo. “Hoje nós temos no Brasil inteiro por volta de 10 mil gestores ambientais apenas, e uma demanda de mais de 50 mil empregos. Existe, ainda, uma verba enorme destinada a ONGs, mas poucos projetos são aprovados, porque não descrevem o projeto tecnicamente. O gestor tem esse embasamento”.

Alunos de Gestão Ambiental visitam Rio Belchior

(Fonte: http://www.unicesp.edu.br/textualonline )

Para fechar a semana que comemorou os quinze anos das Faculdades UniCesp, a instituição levou os alunos do segundo semestre do curso de Gestão Ambiental para iniciar uma campanha de despoluição no Rio Belchior.

A visita teve o objetivo fazer um planejamento estratégico, entre professores e alunos da área ambiental, de como fazer a correta limpeza de uma parte das margens do rio, sem degradá-la. Numa segunda visita, serão recolhidos materiais poluentes, como plástico, garrafas pet e pedaços de isopor, por exemplo. Este lixo será levado e exposto para a população local (principal responsável pela poluição), no intuito de conscientizar sobre os prejuízos do incorreto descarte do lixo doméstico. A iniciativa é do projeto Guará+Verde, do qual o Unicesp é parceiro juntamente com o jornal comunitário do Guará, Guará Hoje.

O último dia de uma semana de atividades, que comemoraram os quinze anos do Unicesp, foi marcado com o início de uma ação em prol do meio ambiente. Por volta das 8h30, da manhã do sábado (27/03), alunos e professores do curso de Tecnólogo em Gestão Ambiental, partiram em um ônibus cedido pela instituição, rumo ao Rio Belchior. Bernardo Berano, coordenador do curso, explicou o objetivo da visita. “Os alunos identificarão o local, analisando as partes de vegetação, de solo e hídrica. A parte da poluição será analisada para que seja visto qual o principal vetor desta, se é a poluição química, ou por lixo, mas já se sabe que é por lixo, principalmente por garrafas pet. Num segundo momento, faremos uma ação social de retirada do lixo. Colocaremos num caminhão para ser levado à comunidade próxima a fim sensibilizá-la e ensiná-la a manejar esse lixo corretamente”, explicou Bernardo.

O Rio Belchior ou Melchior, como também é conhecido, fica próximo à expansão de Samambaia. Na primeira visita, o planejamento será para fazer uma estimativa da quantidade de lixo e as condições de acesso de uma área de, aproximadamente, 3 km de extensão. A partir dessa informação poderá ser visto quantas pessoas e caminhões serão necessários, para o recolhimento de lixo, de forma a não prejudicar a natureza local. De acordo com o coordenador de Gestão Ambiental, a segunda ação está prevista para o fim de abril, ele ainda explica como a poluição da cidade suja o rio. “A população próxima suja a cidade, aí com a chuva esse lixo doméstico é arrastado pela enxurrada, até chegar ao rio. Com isso, o rio fica repleto de garrafas pet e sacolas plásticas, dentre outros materiais”.

Às margens do Belchior, os alunos puderam observar os professores fazendo a localização, e analisando, a sinuosidade e a profundidade do rio, assim como as formações rochosas, a mata e o solo.  Para o Rafael Carvalho, geógrafo e professor de planejamento e gestão dos recursos hídricos, as aulas de campo são indispensáveis para os alunos. “É um momento de consolidação do que foi aprendido na teoria, nas pesquisas e nas leituras. Aqui o aluno pode submeter seu conhecimento a testes, e adquirir mais atração pelo conhecimento científico e  pesquisa. Além de aspectos de fauna e flora, aspectos humanos, como atividades econômicas, culturais relacionados à questão ambiental podem ser abordadas. O campo tem uma multiplicidade de dinâmicas”, comentou Rafael. A aluna de Gestão Ambiental, Aline Viana Costa, de 20 anos, prefere as aulas em campo. “A gente aprende bem mais na prática do que na teoria. Vivenciando é muito mais fácil de aprender”, declarou a aluna.

 Quando o lixo for recolhido, será levado para frente da Administração Regional de Samambaia. Lá, ficará exposto para que a população veja aonde chega, muitas vezes, um lixo que é deixado em lugar inapropriado. Além disso, a comunidade local interessada, aprenderá a dar o correto destino ao lixo doméstico e será convidada a participar do Guará+Verde. Só para se ter um ideia, um simples filtro de cigarro ou um chiclete demoram cinco anos para se decompor. Um pedaço qualquer de plástico ou latinha vão durar, no mínimo, 100 anos. A borracha dura indeterminadamente. Uma garrafa de vidro vai levar um milhão de anos para desintegrar. Já as sacolas de supermercado, altamente descartáveis, ficarão na natureza por 450 anos.

O Projeto Guará+Verde é de iniciativa do jornal comunitário, GuaráHoje. Apesar de ter o nome da cidade Guará, não é voltado exclusivamente para essa região. “Pensar em meio ambiente não dá para pensar apenas no meio ambiente local, tudo está integrado”, justificou o coordenador Bernardo. Amarildo Castro, diretor do jornal e idealizador do projeto observou a importância daquele momento. “Nós do jornal GuaráHoje acreditamos que poderíamos fazer um pouco mais para nossa cidade. Aqui temos vinte alunos, se cada um conscientizar, pelo menos, uma pessoa, daqui há dez anos podemos ter um resultado muito positivo. A vinda dos alunos, além de realizar o trabalho de faculdade, será para que eles levem daqui a conscientização e comecem a fazer o trabalho de ‘formiguinha’, disseminando a ideia da preservação por onde quer que passem”. 

Especialização em Perícia Ambiental – Unicesp

Atendendo uma demanda específica do mercado na formação de pessoal especializado em perícia ambiental, o UNICESP – Campus Guará I / DF – inicia no dia 09 de março de 2010 a III Turma de Pós Graduação MBA em Gestão e Perícia Ambiental.

O curso está dividido em 04 módulos (Identificação da Poluição, Tecnologias de Controle da Poluição, Sistemas de Gestão Ambiental e a Parte específica de Perícia Ambiental) em um total de 450 horas.

As matrículas para essa turma estão abertas a partir de 01 de março até a data de seu início com valores promocionais de R$ 287,00 para matrículas durante a semana.

Informações: www.unicesp.edu.br

telefones: (61) 3035-9500 falar na secretaria de pós ou email paara o coordenador do curso verano@ig.com.br

Carnaval consciente

(Fonte: Planeta Sustentável e Instituto Akatu)

O carnaval é um período de muita alegria e diversão, mas também de consumo exagerado. O feriado, as viagens e as festas acabam representando um gasto maior de combustível, de eletricidade, de fantasias e, é claro, de bebidas.

Na quarta-feira de cinzas, tudo isso deixa muito mais que saudades, deixa um monte de resíduos e uma conta ambiental alta a ser paga pelo planeta. Por isso, o Insituto Akatu para o Consumo Consciente elaborou 10 dicas para você curtir o carnaval sem descuidar da consciência ambiental e social.

1. Produza menos lixo
Para você ter uma idéia de como o carnaval produz lixo adicional ao usual, só na cidade de Salvador são recolhidas 1.500 toneladas a mais de lixo nos dias 6 dias de festas. Isto gera um alto custo extra de coleta para as prefeituras, pago com recursos públicos que poderiam ser investidos, por exemplo, para maior segurança no próximo carnaval 

2. Jogue o lixo no lixo
No carnaval, o lixo acumulado nas ruas entope os bueiros e aumenta o risco de enchentes. Nas estradas, os detritos jogados nos acostamentos agridem e colocam em risco o meio ambiente e os animais. Portanto, no carnaval, mais do que nunca, jogue o lixo exclusivamente no lixo.

3. Reutilize as fantasias
As fantasias de carnaval são usadas, em geral, apenas por um dia. Portanto, para evitar o desperdício, nada melhor do que reutilizá-las, trocá-las com amigos, reciclá-las.

4. Cuidado com os excessos
O consumo excessivo de bebidas é responsável pela maioria dos acidentes e pelos altos níveis de violência no carnaval. Não passe da conta neste carnaval, consuma bebidas e alimentos com moderação, protegendo a sua saúde e a integridade física de todos.

5. Seja um turista consciente
Se você for viajar no carnaval, procure minimizar os impactos ambientais de sua viagem, respeite os costumes dos lugares visitados, prestigie a cultura e a economia locais.

6. Gaste menos combustível
Prefira transportes com menor consumo de combustível fóssil, o principal responsável pelo aquecimento global. Entre o avião e o carro, prefira o carro. Entre o carro e o ônibus, fique com o último. E aproveite os dias livres para andar de bicicleta e a pé.

7. Tire os equipamentos da tomada
Antes de viajar, não se esqueça de tirar os aparelhos elétricos e eletrônicos da tomada, tais como TV, DVD, microondas e carregador de bateria. O modo “stand-by”, que fica acionado quando o aparelho está desligado, mas conectado à rede elétrica pela tomada, é responsável por até 25% da energia consumida por esses equipamentos.

8. Não desperdice água
O carnaval é a época em que muitas cidades, em especial as turísticas, enfrentam sérios problemas de abastecimento de água em função do aumento excessivo de consumo. Portanto, se você já é um consumidor consciente de água, redobre os cuidados no carnaval. Evite as brincadeiras que implicam em desperdício, tome banhos mais curtos, desligue o chuveiro na hora de se ensaboar.

9. Aproveite a cidade vazia
Se sua cidade não for destino de foliões, e se você não for viajar, aproveite a tranqüilidade e o tempo livre em atividades que não custam dinheiro e não consomem recursos naturais: caminhadas, visitas a parques, museus e centros culturais, maior convívio com a família.
 
10 . Divulgue o consumo consciente
Durante o carnaval, se você presenciar casos de desrespeito aos preceitos que orientam essas dicas do Akatu, não hesite em orientar as pessoas. Sempre que tiver oportunidade, divulgue os princípios do consumo consciente. Contribua para que o carnaval seja cada vez mais uma época de alegria e paz e não de violência e ameaça ao equilíbrio do planeta.
Nós do projeto Verde Capital e do bloco de rádio Cultura Ambiental desejamos a todos um ótimo carnaval!!!