Arquivo da tag: verde capital

Dia Mundial da Água – 22 de Março

Olá, caros leitores deste blog!

Algumas coisinhas sobre a água, considerando que o Dia Mundial da Água já passou e você quer mesmo é novidade.

  • Para quem quer saber mais sobre a história da data:

A Assembléia Geral das Nações Unidas adotou a resolução A/RES/47/193 de 22 de fevereiro de 1993, instituindo que 22 de março de cada ano seria declarado Dia Mundial das Águas (DMA), para ser observado a partir de 93, de acordo com as recomendações da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento contidas no capítulo 18 (sobre recursos hídricos) da Agenda 21. E através da Lei n.º 10.670, de 14 de maio de 2003, o Congresso Nacional Brasileiro instituiu o Dia Nacional da Água na mesma data.

Os Estados foram convidados, como fosse mais apropriado no contexto nacional, a dedicar o Dia a atividades concretas que promovessem a conscientização pública através de publicações e difusão de documentários e a organização de conferências, mesas redondas, seminários e exposições relacionadas à conservação e desenvolvimento dos recursos hídricos e/ou a implementação das recomendações da Agenda 21.

  • Dica bem legal! – Trazemos uma publicação fantástica feita pela ONG WWF sobre o tema. Muito legal, chama-se “Livro das Águas – Cadernos de Educação Ambiental”. Tem uma interatividade show de bola e você descobre várias coisas interessantes. Vale a pena ver e curtir! Clique aqui.

A água é um bem precioso e insubstituível. É um elemento da natureza, um recurso natural. Na natureza podemos encontrar a água em três estados: sólido (gelo), gasoso (vapor) e líquido. Ainda classificando a água ela pode ser: doce, salobra e salgada.

É de domínio público e de vital importância para a existência da própria vida na Terra. A água é um recurso natural que propicia saúde, conforto e riqueza ao homem, por meio de seus incontáveis usos, dos quais se destacam o abastecimento das populações, a irrigação, a produção de energia, o lazer, a navegação.

De acordo com a “Gestão dos Recursos Naturais da Agenda 21, a água pode ainda assumir funções básicas, como:

* Biológica: constituição celular de animais e vegetais.
* Natural: meio de vida e elemento integrante dos ecossistemas.
* Técnica: aproveitada pelo homem através das propriedades hidrostática, hidrodinâmica, termodinâmica entre outros fatores para a produção.
* Simbólica: valores culturais e sociais.

Muito se fala em falta de água e que, num futuro próximo, teremos uma guerra em busca de água potável. O Brasil é um país privilegiado, pois aqui estão 11,6% de toda a água doce do planeta. Aqui também se encontram o maior rio do mundo – o Amazonas – e o maior reservatório de água subterrânea do planeta – o Sistema Aqüífero Guarani.

No entanto, essa água está mal distribuída: 70% das águas doces do Brasil estão na Amazônia, onde vivem apenas 7% da população. Essa distribuição irregular deixa apenas 3% de água para o Nordeste. Essa é a causa do problema de escassez de água verificado em alguns pontos do país. Em Pernambuco existem apenas 1.320 litros de água por ano por habitante e no Distrito Federal essa média é de 1.700 litros, quando o recomendado são 2.000 litros.

Mas, ainda assim, não se chega nem próximo à situação de países como Egito, África do Sul, Síria, Jordânia, Israel, Líbano, Haiti, Turquia, Paquistão, Iraque e Índia, onde os problemas com recursos hídricos já chegam a níveis críticos.  Em todo o mundo, domina uma cultura de desperdício de água, pois ainda se acredita que ela é um recurso natural ilimitado. O que se deve saber é que apesar de haver 1,3 milhão de km\3 livre na Terra, segundo dados do Ministério Público Federal, nem sequer 1% desse total pode ser economicamente utilizado, sendo que 97% dessa água se encontra em áreas subterrâneas, formando os aqüíferos, ainda inacessíveis pelas tecnologias existentes.

Políticas públicas e um melhor gerenciamento dos recursos hídricos em todos os países tornam-se hoje essenciais para a manutenção da qualidade de vida dos povos. Se o problema de escassez já existente em algumas regiões não for resolvido, ele se tornará um entrave à continuidade do desenvolvimento do país, resultando em problemas sociais, de saúde, entre outros.

O país está tomando medidas concretas para impedir esse futuro, entre elas a criação da Agência Nacional de Águas,a sobreposição do rio São Francisco, adoção de técnicas de reuso de água e construção de infra-estrutura de saneamento, já que hoje 90% do esgoto produzido no país é despejado em rios, lagos e mares sem nenhum tratamento.

Segundo a Organização das Nações Unidas – ONU, 50% da taxa de doenças e morte nos países em desenvolvimento ocorrem por falta de água ou pela sua contaminação. Assim sendo, o rápido crescimento da população mundial e a crescente poluição, causado também pela industrialização, torna a água o recurso natural mais estratégico de qualquer país do mundo.

Para cada 1.000 litros de água utilizados, outros 10 mil são poluídos. Segundo a ONU, parece estar cada vez mais difícil se conseguir água para todos, principalmente nos países em desenvolvimento. Dados do International Water Management Institute – IWMI mostram que, no ano de 2025, 1.8 bilhão de pessoas de diversos países deverão viver em absoluta falta de água, o que equivale a mais de 30% da população mundial. Diante dessa constatação, cabe lembrar que a água limpa e acessível se constitui em um elemento indispensável para a vida humana e que, para se tê-la no futuro, é preciso protegê-la para evitar o futuro caótico previsto para a humanidade, quando homens de todos os continentes travarão guerras em busca de um elemento antes tão abundante: a água.

Devido à grande expansão urbanística, a industrialização, a agricultura e a pecuária intensivas e ainda à produção de energia elétrica – que estão estreitamente associadas à elevação do nível de vida e ao crescimento populacional – crescentes quantidades de água passaram a ser exigidas.

As crescentes necessidades de água, a limitação dos recursos hídricos, os conflitos entre alguns usos e os prejuízos causados pelo excesso de água exigem um planejamento bem elaborado pelos órgãos governamentais, estaduais e municipais, visando técnicas de melhor aproveitamento dos recursos hídricos. Além das responsabilidades públicas, cada cidadão tem o direito de usufruir da água mas o dever de preservá-la, utilizando-a de maneira consciente, sem desperdícios, assim dando o valor devido à água.

Seja racional ao usar a água, a fonte não pode secar!

Extraído do Portal Ambiente Brasil (com alterações)

Se você quer algumas dicas boas para economizar água, clique aqui.

Imagem principal: globo.com

Anúncios

Que tal uma hortinha caseira?

Moçada, recebemos a informação de um curso suuuuper bacana, com o pessoal da Escola da Natureza, entidade muito séria de Brasília, que fica no Parque da Cidade, e cheia de projetos legais. Para quem acha que não leva jeito para a coisa, saiba que não é difícil e depois que se pega o gosto, a gente não quer mais parar. Vale a pena tentar. Afinal, tem coisa melhor que colher um cheiro verde bem fresquinho do quintal? Ou usar ervas frescas naquele molho e deixá-lo com um aroma de arrasar os convidados para o jantar? E, de quebra, você montar um cantinho bem charmoso que pode ser usado para um bom bate-papo com os amigos. Olha que gostosa essa ideia?

calendariodojardim.com.br

Além de ser muito saudável, já que você vai passar a consumir alimentos orgânicos e ricos em nutrientes, também é um exercício muito relaxante. Para ter sucesso só é preciso ficar atento ao clima do ambiente, verificar se as espécies são indicadas para o cultivo pretendido e checar a iluminação do sol. O plantio e a manutenção são fáceis e de baixo custo.

blogelian.com.br

Nova turma Curso de horta caseira

Uma horta pode ser montada em qualquer espaço, horizontal ou vertical, qualquer cantinho, sacada, parede ou quintal pode se tornar uma horta. Os únicos requisitos indispensáveis são luz solar direta e vontade. Se não houver chão disponível, as hortas podem ser montadas nas paredes, nas janelas, nos beirais; em vasos, jardineiras, até mesmo em garrafas pet e latas de leite em pó. Irrigação, adubação, um pouco de dedicação e voilá: ervas frescas a mão, como manjericão, hortelã e alecrim, hortaliças fresquinhas, legumes.

Serviço

Dia: 03/03/2013
Horário: 14:30 -18:30 hs
Valor: R$ 75,00 por pessoa
Local: Escola da Natureza, Parque da Cidade, Entrada 05

Inscrições pelo e-mail: escoladanatureza@gmail.com. Mande seus dados e o pedido de inscrição que o pessoal da Escolha envia os dados da conta BB para depósito.

Mais imagens inspiradoras de hortinhas para você se animar! E todas utilizando garrafas pet. Uma mais bonita que a outra.

ciclovivo.com.br hortagarrafa portonewsnet.com.br vilamulher.terra.com.br

Imagens retiradas daqui, daqui, daqui, daqui e daqui.

Lixo e Consumo – Verde Capital no Câmara Ligada

 

O Blog Verde Capital teve a honra de ser convidado para participar da gravação do programa Câmara Ligada, da TV Câmara. A participação estava diretamente ligada ao tema: Consumo e lixo. Participaram também o deputado Mendonça Prado (DEM/SE), a professora e arquiteta da UnB, Raquel Blumenschein, que coordena o LACIS – Laboratório do Ambiente Construído, Inclusão e Sustentabilidade da Universidade de Brasília e a jornalista Carolina Ramalhete, assessora de comunicação, mobilização e políticas públicas do Instituto Vitae Civilis. A banda convidada foi o Raimundos, que me impressionou pelo posicionamento engajado do baixista Canisso.

O programa em questão foi uma iniciativa super importante para os assuntos ambientais porque envolveu a juventude em uma discussão sobre consumo e meio ambiente. E essa relação é exatamente o que tentamos, para usar um trocadilho ambiental, plantar na cabeça da juventude, que o que ela consome, está diretamente ligado com o modo de viver que nos fez chegar a esse caminho quase sem volta no qual nos encontramos hoje.

Os jovens do Centro Educacional 06 de Taguatinga e do CEAN – Centro Educacional da Asa Norte, vindos de realidades próximas, por serem ambas escolas públicas, mas distintas, por estarem uma, na maior cidade satélite da capital federal e outra, na asa do avião e local privilegiado.

O super vídeo A História das Coisas, que nós do Verde Capital vamos morrer indicando, foi exibido para a plateia e parte da discussão do programa foi baseada nele e nas claras constatações de Annie Leonard. O vídeo é atualíssimo, mesmo tendo sido produzido em 2007. O que prova que nosso ritmo não diminuiu tanto assim, mas que, como ela mesmo fala, existem sim, iniciativas em andamento que são uma realidade e, quem sabe, no futuro próximo, estejam mais difundidas.

Digão, vocal e guitarrista da banda Raimundos, levantou uma questão interessante. Em tempos de consumo rápido a cultura também está sendo feita para ser devorada rapidamente e depois um outro, um outro e outro mais. A música também tem sua obsolescência programada. Ela é criada para aproveitar uma onda, um momento, e vemos em um tempo muito curto seu sucesso e declínio. Todos os dias surgem novas bandas com músicas de temporada, que ouvimos e meses depois nem lembramos mais da existência ou da banda que a cantou. Ao contrário de tempos antigos, como Ramones, The Clash, Led Zeppelin, Suicidal, citadas pelo vocalista e que até os dias de hoje são sucesso absoluto.

A redução do IPI foi abordada pelos jovens, como um incentivo do governo para estimular o consumo. A professora da UnB chamou a responsabilidade para nós, cidadãos e perguntou: “o que você faz com isso, como você se posiciona sobre o que o governo e o setor empresarial fazem?”. De acordo com ela, essa responsabilidade cabe a todos nós. Afinal, não é só porque o governo baixou o IPI que vamos comprar como loucos para aquecer a economia e gerar mais lixo para o planeta.

E é bem isso que pregamos no Verde Capital. Qual o papel do consumidor no mercado? A solução tem que ser trazida pronta pelos governos? E nós? É claro que o ser humano tem necessidades que precisam ser satisfeitas diariamente como se alimentar, vestir, morar, se transportar, se divertir e outras tantas dependendo dos hábitos e das culturas. Sem perceber, o indivíduo é levado a pensar que precisa daquele produto, quando, de fato, está buscando o prestígio que ele traz. Esse produto tanto não satisfaz a necessidade inexistente, como é trocado por outro a cada estação. Isso leva à irracionalidade no consumo.

Essa necessidade artificial criada pelo mercado pode ser quebrada com o consumo realizado de forma consciente. É se perguntar se realmente preciso disso que estou comprando, se esse objeto vai ficar parado no seu armário, se será comprado apenas para mostrar que você tem ou vai servir para uma necessidade real. Isso é consumo consciente. É buscar a real necessidade da compra.

Os adolescentes tem muitas dúvidas sobre esse assunto e não sabem muito bem como expressar essa dúvida, nem sobre a necessidade de crescer com sustentabilidade. E para alcançar esse objetivo, não há como fugir do tripé: economia, meio ambiente e sustentabilidade. Essas três áreas precisam andar juntas. Não dá para ter a visão romântica e ingênua de que só os hippies são sustentáveis. É possível atender as necessidades do homem, mantendo o conforto e defendendo o meio ambiente ao mesmo tempo.

Se você ocupa uma posição de destaque e precisa estar bem vestido, o que é mais sustentável: ter dois ternos caros e de qualidade, que vão durar 10 anos, ou comprar 5 mais baratos, para acompanhar a moda e trocar a cada estação?

Será que a saída é somente política, com a mudança do sistema de governo e a comparação entre os modelos capitalistas e socialistas? Para Carolina Ramalhete, assessora do Instituto Vitae Civilis, a produção sustentável, as comunidades orgânicas podem ser possíveis em larga escala. Mas não há como dizer se o futuro terá esses sistemas dominantes.

O baixista do Raimundos, Canisso falou do ativismo e jogou a responsabilidade para a juventude, desafiando aos jovens que votam a fazer direito, a votar nas pessoas certas e não desperdiçar as oportunidades de mudar.

O próprio voto se tornou mais uma “aquisição” do consumo irracional. Se o consumidor não desempenha seu papel adequadamente, porque não tem consciência do poder que possui de decidir, é manipulado constantemente pelo fornecedor, o sistema político.

Esse é um exemplo claro que a juventude deve usar seu tom contestador para mudar, exigindo a aplicação de alternativas diferentes, participando das grandes questões e da política. “É fácil cobrar sem se envolver”, desafiou Canisso.

Para Carolina não é ser contra o que está vigente, é ser a favor da mudança. Isso faz a diferença, desde o sistema político até a forma de consumo.

O deputado Mendonça Prado falou sobre o problema do lixo nas cidades. “O Brasil possui mais de cinco mil municípios, nas mais diversas localidades, com realidades completamente distintas e a escolha dos gestores públicos é de extrema importância e deve ser exercida com responsabilidade pelo cidadão”, disse. E completou a questão afirmando que o problema do gerenciamento do lixo, é de fato muito grande, mal definido, mal gerenciado e causa problemas não só para o homem, mas também a falência do sistema público.

Hoje recicla-se muito pouco, apenas em media 8%, de acordo com Raquel, a professora da UnB. 40, 50% dos resíduos vem da construção civil. Se esse lixo fosse tratado da maneira correta, poderíamos usar até 90% desse descarte reciclado. “Mas para isso, é necessário que todos dentro da cadeia façam um pedacinho”, afirmou.

Digão, dos Raimundos, disse que separa o lixo e se sente agredido quando está na estrada e alguém joga uma lata pela janela, por exemplo.

Em resumo, não apenas o consumo irracional dos bens materiais, mas o consumo dos bens imateriais faz com que as pessoas não se preocupem com as coisas. Não se dá o devido valor às coisas, às músicas, ao pensamento propriamente dito. E tudo é feito para consumir agora. Saiu de moda, acabou e que venha a próxima!

E você, o que vai fazer com isso?

 

Flávia Gomes

Jornalista do blog Verde Capital (texto produzido para o blog Câmara Ligada)

Feliz Dia dos Namorados

Cuidar bem do outro é importante! Mas precisa mesmo comprar presentes caros e, muitas vezes, inúteis para mostrar o seu amor? Um dia juntos, um jantar à luz de velas, um passeio de bicicleta pela cidade são presentes bacanas e que podem ser muito mais legais para curtir juntos e ajudar a preservar o planeta.

Olha se isso não é algo bacana para fazer juntos? ;*

Uma sugestão maravilhosa para quem pode, já que a data cai em dia de semana e se for igual a gente aqui da equipe Verde Capital, só vai se encontrar depois das 22h… uma boa ideia é fazer um piquenique bem gostoso no parque, ou no quintal de casa mesmo. Uma boa caminhada com paradinhas para beijinhos e carinhos sem ter fim também é uma boa pedida! Fugir de tudo e fazer programas inéditos como esse, em pleno meio de semana é ótimo para sair da monotonia! Natureza sempre combina com momentos relax e faz muito bem para o amor…

Um piquenique a dois no pôr-do-sol é romantismo puro!

Para que sue piquenique seja sustentável é bacana procurar as frutas da estação, fáceis de descascar, pães e bolos caseiros, chás, sucos ou vinhos orgânicos. Esse é um programa sustentável, com baixo custo e não envolve compras desnecessárias. Importante: ao final, recolham tudo o que for lixo e não deixem restos pelo local. Lixo, no lixo, de preferência separando os restos secos e orgânicos.

Tudo bem, vocês podem almoçar ou jantar em um restaurante, mas prefira os que ficam perto de casa ou do trabalho e economizem combustível. Uma caminhada romântica pelo bairro pode ser muito interessante e fazer vocês descobrirem coisas novas.

Ficar em casa também é pode ser um programa muito interessante, se você souber fazer a coisa certa. Um jantarzinho, a luz de velas e com música romântica. Você pode cozinhar uma receita especial, com produtos locais, mais sustentáveis ou então comprar pronto em um restaurante amigo do meio ambiente. Se você optar por cozinhar, a casa fica com aquele cheirinho de comida gostosa, feita com amor e isso faz toda a diferença para atiçar os sentidos… Um filminho debaixo das cobertas enquanto saboreiam a sobremesa pode fechar com chave de ouro!

Seja criativo! Faça você mesmo poemas, cartões, presentes e artes recicladas. Um presente feito à mão é único, especial e mostra que você investiu tempo, ideias e energia num presente que não vai haver igual. Para quem não tem habilidades manuais, vale a pena procurar marcas com coleções mais voltadas para a sustentabilidade. Busque presentes úteis, isso é importante. Mais do que comprar um presente que vai ficar guardado no fundo do armário.

Vocês também podem adiar a comemoração para o fim de semana e escolher hoteis e destinos ecológicos para contemplar a natureza e namorar em meio ao verde.

Nunca é demais lembrar: sexo seguro também protege o meio ambiente! Controle da natalidade evita filhos sem planejamento, o que causa mais do que problemas ambientais. Você sabia que no Brasil existem preservativos produzidos com materiais naturais, de seringueiras. De acordo com o Ministério da Saúde, esta iniciativa ajuda também a preservar a Amazônia garantindo a exploração sustentável dos materiais, e reduzir a quantidade de preservativos importados para o país, que são distribuídos gratuitamente para combater a AIDS como parte de uma campanha nacional.

Seja qual for o seu estilo, sua comemoração pode ser diferente a partir de agora! Aproveite o dia e as dicas.

Feliz Dia dos Namorados da equipe Verde Capital.

Imagens grandefm, folhanoroeste e noivasecia.

Cuidar do meio ambiente hoje, é ver a importância dele para o amanhã

 

Para este Dia Mundial do Meio Ambiente, o blog Verde Capital preparou uma seleção de frases e imagens para brindar à Mãe Natureza. Porque a beleza está nas palavras dos homems e nas imagens que ela nos proporciona todos os dias. E se podemos ser belos nas palavras, porque não o sermos também nas ações?

 

“Sou uma filha da natureza:
quero pegar, sentir, tocar, ser.
E tudo isso já faz parte de um todo,
de um mistério.
Sou uma só… Sou um ser.
E deixo que você seja. Isso lhe assusta?
Creio que sim. Mas vale a pena.
Mesmo que doa. Dói só no começo.”
Clarice Lispector

 

“Nós seres humanos, estamos na
natureza para auxiliar o progresso
dos animais, na mesma proporção
que os anjos estão para nos auxiliar.
Portanto quem chuta ou maltrata um
animal é alguém que não aprendeu a
amar”
Chico Xavier

“O que eu faço, é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor.”
Madre Teresa de Calcutá

“É triste pensar que a natureza fala e que o género humano não a ouve.”
Victor Hugo

“A natureza é o único livro que oferece um conteúdo valioso em todas as suas folhas.”
Johann Goethe

“Se você tem metas para um ano. Plante arroz
Se você tem metas para 10 anos. Plante uma arvore
Se você tem metas para 100 anos então eduque uma criança
Se você tem metas para 1000 anos, então preserve o meio Ambiente.”
Confûcio

E que tal educar crianças, plantar árvores e preservar o meio ambiente, tudo junto?

Você pode!

Jovens do mundo todo vão debater sustentabilidade no Congresso Mundial de Juventude, no Rio

Então, moçada que está se preparando para acompanhar as discussões da Rio+20! Preparem-se bem, para não falar besteira e simplesmente replicar o “senso comum” que nem sempre é tão espertinho ou inteligente o suficiente para argumentar com coerência e baseado em fatos reais, não fatos plantados por ONGs ou grupos de interesse. Jovens do mundo inteiro estão mobilizados para propor ações e participar dos planos que vão suceder as Metas do Milênio para tornar o planeta mais sustentável. O Congresso Mundial da Juventude, um evento bienal, vem para auxiliar esse público a entender e debater os temas da maior importância para a população e vai acontecer no Brasil pela primeira vez.

Vamos ler para entender melhor o que é esse evento?

Evento será encerrado no Riocentro com a presença do prefeito do Rio, Eduardo Paes

Antes que líderes de governo se encontrem no Rio de Janeiro para debater o futuro do planeta, mais de 300 jovens de 100 países se reunirão na cidade para planejar ações para o desenvolvimento sustentável das economias globais. Entre 4 e 13 de junho, acontece o 6º Congresso Mundial de Juventude em Vargem Pequena, no Rio de Janeiro. Cinquenta delegados brasileiros participam do encontro, cujo tema central é “Qual é o papel mais eficaz que a juventude pode desempenhar na sustentabilidade?”.

Os participantes são líderes juvenis em seus países e têm até 30 anos. Acampados no Sítio das Pedras, na zona Oeste da cidade, os jovens contarão com infraestrutura montada por voluntários. Lá serão incentivados a definir novas Metas e um plano de ação da juventude. “O congresso reunirá jovens para discutir como podem liderar o processo de desenvolvimento ´verde´ de que o mundo tanto precisa”, frisa Roberto Vámos, coordenador-geral do evento. Para ele, é uma chance de mostrarem suas demandas para líderes mundiais que virão para a Rio+20.

Marcelo Furtado, diretor do Greenpeace Brasil, Hélio Mattar, presidente do Instituto Akatú, David Woollcombe, presidente da Peace Child International e Roberto Vámos, do Instituto Peace Child, abrem o Congresso na próxima terça-feira, dia 5. Na programação, há projetos de ação nomeados Solução Jovem realizados em parceria com o Instituto Raízes da Tradição na Vila Cruzeiro, na zona Norte do Rio, nos dias 9, 10 e 11. Os ativistas contribuirão para o reflorestamento da Serra da Misericórdia, que fica no coração do Complexo do Alemão. Os jovens participantes encerrarão o evento com uma marcha simbólica diante do Riocentro em 12 de junho. Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, vai participar do último dia do evento. Ele deverá cumprimentar os delegados jovens e receber a carta das soluções jovens para sustentabilidade.

Mesas redondas e palestras serão facilitadas pelos próprios participantes e representantes da sociedade civil. Todos serão incentivados a compartilhar experiências em atividades relacionadas à economia verde, que se baseia em princípios como respeito aos direitos humanos, conscientização ambiental e consolidação da paz. Projeção de filmes, shows musicais, dança e stand up comedy são atrações culturais promovidas pelos participantes e jovens das comunidades.

“Quem não tiver a chance de acompanhar o evento presencialmente pode participar através do Congresso Virtual da Juventude http://www.wycrio2012.org”, afirma Ditta Dolejsiova, Coordenadora Geral da Universidade da Juventude, uma das entidades organizadoras.

O evento é promovido e licenciado pela Peace Child International em cooperação com parceiros locais. No Brasil, são o Instituto Peace Child, Universidade da Juventude e Instituto Raízes da Tradição. O Congresso Mundial de Juventude é bienal e já foi realizado na Turquia, Canadá, Escócia, Marrocos e Havaí.

Passeio ciclístico em Brasília pelo Dia Mundial sem Carro

Embaixada da Holanda e Rodas da Paz promovem passeio ciclístico em Brasília pelo Dia Mundial sem Carro

Para celebrar o Dia Mundial sem Carro (22/9), a Embaixada da Holanda e a ONG Rodas da Paz realizam o passeio ciclístico Pelotão Laranja, com ciclistas vestindo camisetas laranja, a cor oficial do País.

O percurso do passeio ciclístico parte da Embaixada do Reino dos Países Baixos (Av. das Nações – Qd. 801 -Lote 05), seguirá pelo Eixo Monumental, onde os ciclistas farão um Pit-stop, na tenda “Ano da Holanda no Brasil” que distribuirá água e presentes, e terminará na sede do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), onde acontecerá em seguida o seminário  “Eco-mobilidade: em busca de cidades para as pessoas”, promovido pelo Ministério das Cidades.

A iniciativa pretende aquecer o debate do uso da bicicleta como meio não poluente de transporte e incentivar o uso de formas de locomoção alternativas ao carro, urgente nas grandes cidades. O Distrito Federal possui frota com mais de 1 milhão e 300 mil automóveis e a taxa de ocupação média é muito baixa: cerca de 2,3 ocupantes por carro.

O objetivo da Embaixada é promover o Ano da Holanda no Brasil ajudando as cidades brasileiras na construção de soluções em infraestrutura cicloviária, já que os Países Baixos possuem o reconhecido domínio na fabricação de bicicletas, na engenharia de trânsito e em segurança ciclística e podem contribuir para o debate sobre a expansão do uso da bicicleta nas cidades brasileiras.

Segundo Uirá Lourenço, presidente da Rodas da Paz, a parceria com a Embaixada da Holanda, “traz a cultura ciclista de um país à cena brasileira. É um exemplo de mobilidade saudável e sustentável. Uma lição sobre um modo de vida em que tradicionalmente se priorizou a população e sua qualidade de vida”.

O Distrito Federal é protagonista em questões de trânsito, mas muitas das iniciativas da Semana da Mobilidade estarão acontecendo simultaneamente em outras capitais. O terceiro Desafio Intermodal, por exemplo, conta este ano com a adesão de 17 cidades.

Por aqui, os participantes do Desafio Intermodal sairão do Guará até a Rodoviária do Plano Piloto, no dia 19 – HOJE!, em diferentes meios de locomoção e de transporte. Elas vão de bicicleta, de metrô, caminhando e de automóvel. Depois será feita uma análise técnica do tempo gasto e das vantagens e desvantagens de cada modo de deslocamento, inclusive comparando a performance alcançada com os resultados do ano passado e de 2009.

Com a programação proposta, a ONG Rodas da Paz espera que as autoridades de governo e a população repensem a ocupação e o uso do espaço urbano, percebam  a viabilidade do transporte por bicicleta.  Além de alertar para a necessidade de uma convivência harmônica e de respeito com quem utiliza a bicicleta.

Leia mais e veja a programação completa da semana Continuar lendo Passeio ciclístico em Brasília pelo Dia Mundial sem Carro

Como tratamos o lixo nosso de cada dia

Muitos dos problemas enfrentados nos últimos tempos tem relação com a forma como tratamos nosso lixo. Enchentes, entupimentos de bueiros e esgotos, em grande parte, são causados pela péssima maneira como o lixo de nossas cidades é tratado. Mas não se engane, leitor, é muito fácil cobrar e responsabilizar o governo, mas nós não fazemos nem um terço do que deveríamos para ajudar a resolver esse problema.

Muitas pessoas, por exemplo, tiram o lixo de casa logo pela manhã cedo sendo que o caminhão de lixo só passa recolhendo à noitinha. O que acontece? O lixo fica no chão, em canteiros, nas calçadas, esquinas e becos sofrendo a ação do tempo e os ataques de animais. O resultado são sacos rasgados, lixo espalhado, canteiros e gramados sujos. Por que não ser consciente e só colocar o lixo na rua quando o lixeiro passar? A menos que você tenha um recipiente próprio para a colocação do lixo, deixe para descartar somente um tempo antes do caminhão chegar.

Vamos ver o que acontece com o lixo deixado na rua, quando chega uma daquelas chuvas de verão:

E aí, entendeu agora a importância de fazer a sua parte antes de se achar no direito de culpar governos apenas? Se cada um fizer o seu, o problema será bem menor, assim como a reclamação que teremos que fazer com o poder público. E isso inclui jogar um simples papel de bala no meio da rua ou pela janela do carro.

Flávia Gomes
Equipe Verde Capital

Que mundo queremos deixar para nossos filhos? E que filhos queremos deixar para o mundo?

Olá pessoal que nos acompanha todo esse tempo. Eu e o professor Bernardo Verano temos uma novidade muito bacana para você, que está sempre com a gente, recebendo nossas dicas sobre meio ambiente e sustentabilidade. Nosso primeiro filho, Leonardo, está para nascer se é que já não vai ter nascido quando vocês estiverem lendo esse post… Por causa desse acontecimento mais que especial, ficamos pensando em um tema para falar essa semana e nada melhor do que uma reflexão sobre o mundo que queremos deixar para os nossos filhos. E você, já pensou em que tipo de mundo gostaria que seu filho vivesse?

Foi pensando nas coisas que nós podemos fazer, que o Cultura Ambiental dessa semana traz dicas importantes de sustentabilidade. Eu, você e qualquer um de nós podemos adotar hábitos e atitudes mais saudáveis para nós mesmos e para o meio ambiente.

Agora que nosso filho está nascendo, os pensamentos de deixar um mundo melhor para que ele cresça feliz vem aumentando. E por isso nossas dicas são para que vocês e nós também possamos fazer a nossa parte.

Leve uma sacola para fazer as compras tanto no supermercado quanto na feira. Levando sua própria embalagem – que pode ser uma mochila ou uma sacola de pano – você evita o desperdício de sacos plásticos e reduz a quantidade de lixo produzido na sua casa. Mesmo que não caiba tudo, qualquer redução, se pensarmos em grande escala, já reduz o impacto ambiental.

Prefira produtos naturais aos industrializados sempre que possível. Para a fabricação de produtos, as indústrias consomem grandes quantidades de energia e jogam toneladas de CO2 na atmosfera. Produtos naturais já nascem prontos, sem os custos ambientais exorbitantes.

Valorize o trabalho de cooperativas agrícolas e artesanais, elas são boas opções de consumo consciente. Há muitos artistas que trabalham com materiais naturais, reciclados ou reaproveitados, inclusive com a consultoria de designers renomados.

Procure direitinho, perto da sua casa deve existir um grupo de produtores de alimentos orgânicos. Com as cooperativas, eles conseguem manter uma escala de produção que possibilita a sustentabilidade de suas famílias. E sem agrotóxicos, os alimentos são mais saudáveis para quem consome e também para quem produz. Se na sua cidade tem uma feira, vale a pena começar a freqüentar e se habituar a fazer uso desse tipo de alimento.

Feche a torneira ao lavar a louça. Em 15 minutos, uma pessoa gasta mais de 240 litros de água. Instalar arejadores nas torneiras da cozinha e dos banheiros – um acessório bem baratinho – pode gerar uma economia de até 60%.

Separe o lixo orgânico dos materiais que podem ser reciclados. É simples, basta ter duas lixeiras em casa para você colaborar com o planeta. Numa delas, coloque o lixo orgânico e na outra, os materiais que podem ser enviados à reciclagem: plásticos, papéis, metais e vidros e entregue em pontos de coletas. Assim, você evita a sobrecarga nos aterros sanitários e reduz o consumo de mais matéria-prima para a fabricação de novos produtos.

Reutilize a água da chuva e da máquina de lavar. Se você mora em casa, reaproveite a água da lavagem das roupas para limpar a garagem, a varanda e o quintal. Você também pode armazenar a água da chuva que escorre pelas calhas para usar na limpeza das áreas externas.

Pendure suas roupas ao invés de usar a secadora. Você pode economizar mais de 317 quilos de gás carbônico se pendurar as roupas durante metade do ano ao invés de usar a secadora.

Use uma garrafa térmica com água gelada. Compre uma garrafa térmica de 2 a 5 litros. Abasteça-a com água bem gelada e uma bandeja de cubos de gelo pela manhã. Você terá água gelada até a noite e evitará o abre-fecha da geladeira toda vez que alguém quiser beber um copo d’água.

Antes de cozinhar, retire da geladeira todos os ingredientes. Evite o abre-fecha da geladeira toda vez que seu cozido precisar de uma cebola, uma cenoura etc.

Troque lâmpadas incandescentes por fluorescentes. Lâmpadas fluorescentes gastam 60% menos energia que uma incandescente. Assim, você economizará 136 quilos de gás carbônico anualmente.

Não deixe seus aparelhos em standby. Simplesmente desligue ou tire da tomada quando não estiver usando um eletrodoméstico. A função de standby usa cerca de 15% a 40% da energia consumida quando o aparelho está em uso.

Descongele geladeiras e freezers antigos a cada 15 ou 20 dias. O excesso de gelo reduz a circulação de ar frio no aparelho, fazendo que gaste mais energia para compensar. Se for o caso, considere trocar de aparelho. Os novos modelos consomem até metade da energia dos modelos mais antigos, o que subsidia o valor do eletrodoméstico a médio/longo prazo.

Desligue o computador. Deixe de lado o péssimo hábito de deixar o computador ligado ininterruptamente, às vezes fazendo downloads, às vezes por pura comodidade. Desligue o computador sempre que for ficar mais de 2 horas sem utilizá-lo e o monitor por até quinze minutos.

Desligue o ar-condicionado uma hora antes do final do expediente. No final do expediente a temperatura começa a ser mais amena e o uso não é tão necessário. Num período de 8 horas, isso equivale a 12,5% de economia diária, o que equivale a quase um mês de economia no final do ano.

Tá vendo como é fácil?! Assumir a responsabilidade de deixar um mundo melhor para nossos filhos vale muito a pena! E comece logo, o dia das crianças vem aí. Tente assumir uma postura menos consumista e se for dar um presente, ao menos convença o filhão a doar algum brinquedo que ele não usa mais para quem precisa. Ele começa a entender desde pequeno e vai poder ver a alegria nos olhos de uma criança carente.

Vamos ver agora um discurso maravilhoso feito na ECO 92, por uma menina canadense de 11 anos. Não há como não se emocionar com o que ela fala!

Dia Mundial sem Carro 2010

É engraçado e triste, mas parece que este ano o Dia Mundial sem Carro foi pouco falado. Hoje tivemos matérias, mas e ontem, semana passada? Como as pessoas podem estar preparadas para um evento se a mídia não divulga com antecedência datas como essas? Mais pessoas poderiam deixar seus carros na garagem se soubessem da informação.

No ano passado uma equipe de jornalistas do Portal UOL realizou uma ação muito bacana. Na semana em que é comemorado o Dia Mundial Sem Carro (22 de setembro), uma equipe de jornalistas do UOL que costuma usar carro diariamente abriu mão de seus veículos para observar e comparar as vantagens e desvantagens de viver no dia-a-dia usando transporte coletivo, bicicleta ou outros meios alternativos para se locomover. Diariamente as impressões dos cinco jornalistas foram publicadas neste blog: http://especialtransito.blog.uol.com.br. Muito bacana, vale a pena ler!
Veja reportagem publicada hoje no Portal G1

No Dia Mundial sem Carro, ciclistas fazem protesto no Distrito Federal

Manifestantes percorreram cerca de 20 quilômetros até o centro de Brasília. O protesto era contra o cancelamento da construção de uma ciclovia.

Um grupo de ciclistas aproveitou o Dia Mundial sem Carro para fazer uma manifestação no Distrito Federal nesta quarta-feira (22). O ‘bicicletaço’, que percorreu aproximadamente 20 quilômetros, foi um protesto contra o cancelamento da construção de uma ciclovia.

Para lembrar a data, os ciclistas dividiram espaço com os veículos na Estrada Parque Taguatinga (EPTG), uma das vias de maior movimento no DF. Eles foram pedalando do Guará, cidade próxima a Brasília, ao Eixo Monumental, no centro da capital.

“Eu vou de Águas Claras para o Plano Piloto de bicicleta diariamente. Apesar de ter experiência, acho que uma ciclovia faz falta. É uma via expressa, então, fica difícil dividir o espaço com os carros”, avalia o servidor público Uirá Lourenço.

O engenheiro Rafael Andrade acredita que, além da implantação de ciclovias, é necessário que os motoristas se conscientizem. “Mudando isso, seria mais fácil difundir a bicicleta como meio de transporte das pessoas”, avalia.

Atualmente, o DF tem 160 quilômetros de ciclovias. Até o fim do ano, o Departamento de Estradas de Rodagem deve concluir 300 quilômetros de faixas exclusivas para ciclistas. A ideia é dobrar este número nos próximos anos. O GDF anunciou um investimento de R$ 55 milhões para a construção de ciclovias.

Neste Dia Mundial sem Carro, o metrô do DF também pode ser uma saída. Os trens irão funcionar de graça nesta quarta-feira, com a catraca livre em todas as estações. Mas o metrô atende menos da metade da população do DF.

Quem está preocupado com os congestionamentos e com a poluição, reclama também da péssima qualidade do sistema de transporte coletivo.

“Hoje, para se deslocar da Asa Norte até uma faculdade da Asa Sul, de carro, eu gasto 20 minutos. De transporte público, eu demoraria mais de uma hora. Desse jeito não tem como”
, constata o aposentado Oriva Campos.